Educação integral e a importância da na formação dos estudantes

educação integral

Sumário

Em um mundo em constante mudança e incerto, o fortalecimento das habilidades socioemocionais dos estudantes se torna cada vez mais relevante. Não é à toa que as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estabelecem a necessidade da educação integral para o desenvolvimento das competências socioemocionais nas escolas. 

Neste artigo, você conhecerá as competências socioemocionais e como os educadores podem apoiar e fomentar este desenvolvimento.

Entendendo as habilidades socioemocionais

As habilidades emocionais são capacidades individuais que se manifestam nos comportamentos e na forma de resolver conflitos, tomar decisões éticas e enfrentar desafios com resiliência são habilidades valiosas para enfrentar um mundo em constante mudança. Dessa forma, estudantes que têm a oportunidade de aprender a lidar com suas emoções e a se relacionar com os outros de maneira positiva têm um desempenho melhor não apenas na escola, mas também na vida.

As competências socioemocionais também estão inseridas na BNCC, com o objetivo de valorizar a singularidade e diversidade de cada aluno. Nesse sentido, as diretrizes da BNCC estabelecem dez competências gerais que devem ser promovidas por meio da educação, entre elas: uso de diferentes linguagens para se expressar; exercitar a empatia, diálogo, resolução de conflitos e a cooperação; negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos; agir pessoal e coletivamente com autonomia e responsabilidade; utilizar tecnologias digitais de forma crítica, significativa, reflexiva e ética para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva; entre outras.

A importância da educação integral

A educação integral vai além do tradicional ensino acadêmico. Ela busca desenvolver todas as facetas dos estudantes, incluindo seu bem-estar emocional, social e físico. Ao priorizar as habilidades socioemocionais, a educação integral reconhece que a formação completa não é apenas sobre o que os estudantes sabem, mas também sobre quem eles são como indivíduos.

A BNCC busca a formação integral dos alunos brasileiros, baseando-se no desenvolvimento de habilidades e competências diversas em prol do estabelecimento de uma sociedade mais justa, igualitária, democrática e inclusiva, a partir de cidadãos engajados, críticos e independentes.

Os Pilares da Educação Integral

Desenvolvimento Socioemocional: A educação integral se baseia no desenvolvimento de habilidades como empatia, resolução de conflitos, autoconhecimento e autocontrole. Como resultado, essas habilidades capacitam os estudantes a construir relacionamentos saudáveis e lidar eficazmente com as demandas da vida.

Aprendizado Ativo e Engajamento: Essa abordagem incentiva a participação ativa dos estudantes em projetos, debates e atividades práticas. Isso não apenas fortalece o aprendizado, mas também fomenta a criatividade, a curiosidade e a colaboração.

Conexão com a Comunidade: A educação integral valoriza a interação dos estudantes com suas comunidades locais e globais. Projetos sociais, parcerias com organizações não governamentais e atividades extracurriculares enriquecem o aprendizado ao conectar os estudantes com o mundo real.

ebook bncc

O papel dos gestores na implementação da educação integral

É muito importante criar um ambiente escolar favorável, com estrutura adequada, recursos disponíveis e formação para os professores.

A integração dessas habilidades no currículo escolar pode ser realizada por meio de projetos, atividades extracurriculares, parcerias com a comunidade, entre outras estratégias. Por isso, listamos algumas estratégias que você pode aplicar para gerar integração na sala de aula, além de envolver a equipe escolar, a comunidade e os pais no processo de implementação da educação integral:

1) Aprendizado baseado em projetos de impacto social

Incentive projetos que abordem questões sociais relevantes, permitindo que os estudantes coloquem em prática habilidades de pesquisa, colaboração e empatia.

2) Atividades de reflexão

Reserve momentos para que os estudantes expressem suas emoções, compartilhem experiências e pratiquem a escuta ativa em sala de aula.

3) Aprendizado cooperativo

Promova atividades que envolvam a colaboração entre os estudantes, estimulando a resolução de problemas e a comunicação.

4) Liderança visionária e engajamento

Os gestores educacionais desempenham um papel fundamental ao liderar a transformação da cultura escolar. Dessa forma, eles devem comunicar uma visão clara da educação integral, destacando seus benefícios para estudantes, educadores e a comunidade como um todo. Nesse sentido, o engajamento ativo e a comunicação aberta incentivam a adesão de todos os envolvidos.

5) Formação e capacitação de educadores

Os gestores devem investir em programas de formação que equipem os educadores com as habilidades necessárias para promover a educação integral. Ou seja, isso pode incluir workshops sobre ensino socioemocional, estratégias de sala de aula colaborativas e abordagens pedagógicas inovadoras.

6) Currículo integrado

A educação integral não é um apêndice ao currículo acadêmico, mas uma parte intrínseca dele. Os gestores têm a responsabilidade de colaborar com os educadores para desenvolver um currículo que incorpore atividades e projetos que promovam o desenvolvimento socioemocional.

7) Ambientes de aprendizagem inclusivos

Os gestores devem criar ambientes de aprendizagem que estimulem a interação social, a expressão criativa e a resolução colaborativa de problemas. Desse modo, salas de aula que promovam a diversidade e a inclusão são cruciais para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais.

8) Avaliação holística

Os gestores também têm um papel fundamental em garantir que a avaliação vá além das notas acadêmicas. Afinal, avaliar o desenvolvimento socioemocional dos estudantes, por meio de feedback construtivo e observações, ajuda a criar um ciclo de melhoria contínua.

A educação integral está construindo uma geração de estudantes equipados para enfrentar o futuro com compreensão, empatia e resiliência. À medida que as escolas incorporam o desenvolvimento de habilidades socioemocionais em suas práticas pedagógicas, eles estão formando cidadãos completos que não apenas alcançarão sucesso acadêmico, mas também se tornarão membros ativos e contributivos de suas comunidades. O poder da educação integral reside em sua capacidade de nutrir não apenas as mentes, mas também os corações dos estudantes, criando um mundo melhor e mais conectado.

Os educadores desempenham um papel transformador ao abraçar a educação integral. Eles não apenas transmitem conhecimento, mas também modelam comportamentos e atitudes socioemocionais saudáveis. Ao cultivar um ambiente seguro e acolhedor, os educadores incentivam a expressão emocional, a colaboração e a empatia entre os estudantes.

A Estuda.com possui uma série de ferramentas para facilitar o dia a dia dos educadores e contribuir para que o tempo em sala de aula se torne mais produtivo. O professor é mais um facilitador do aprendizado do que um transmissor de informações, e deve incentivar a participação ativa dos alunos e promover um ambiente de aprendizado colaborativo. Sendo assim, pode contar com ferramentas tecnológicas para otimizar tempo e melhorar a qualidade do ensino.

Compartilhe

Materiais gratuitos para gestão escolar

Para apoiar o seu cotidiano e responder e trazer dados relevantes que podem auxiliar no seu dia a dia como educador!